Sobre acessibilidade

Serviços

11/12/2017 - 16:00

A aposentada Maria de Nazaré, 65, precisou fazer uma cirurgia de facectomia (catarata) para corrigir dificuldades na visão. Com o plano de saúde em dia, ela foi surpreendida pelo oftalmologista com uma proposta de pagar “por fora” dois mil reais pela lente intraocular utilizada na cirurgia. Revoltada com a situação, dona Nazaré buscou seus direitos na administração do plano, onde foi orientada a não pagar nada, uma vez que todo o tratamento é garantido a ela, o que inclui as lentes.

Segurada do Instituto de Assistência dos Servidores do Estado do Pará (Iasep), dona Nazaré realizou a cirurgia, utilizando as lentes oferecidas pelo plano, sem pagar nenhum valor excedente. Apesar de ter realizado a cirurgia com sucesso, a aposentada prefere não identificar seu nome completo e não protocolou reclamação formal contra o médico, “porque eu vou voltar nele pra fazer outro procedimento e não quero comprometer minha saúde”. Segundo ela, a oferta do médico era por uma lente “melhor” que a do plano, “mas ele não esclareceu porque a lente do plano não presta”, o que gerou desconfiança na aposentada.

De acordo com a gestão do Instituto, o receio de reclamar do médico é comum entre os usuários de muitos planos de saúde, mas no caso de proposta de cobrança irregular para material ou procedimento cirúrgico, a medida adequada é, primeiramente, buscar informações sobre o ocorrido. “Ao receber qualquer proposta de compra ou cobrança extra, o segurado deve informar o ocorrido à Central de Segurados. A partir disso, o Iasep irá entrar em contato com a direção da clínica ou hospital para solucionar o caso do paciente”, explica a diretora de Assistência à Saúde do Iasep, Lúcia Souza.

A diretora de Assistência informa que o condicionamento da realização de compra de lente para a facectomia é ilegal e o Iasep não permite essa prática. Segundo ela, o plano dos servidores autoriza cerca de 300 cirurgias de catarata por mês, oferecendo todo o material necessário, com qualidade aprovada pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa). “O Iasep tem acordo com a rede credenciada para pagar os procedimentos oftalmológicos em forma de pacote cirúrgico, onde estão incluídos os materiais, as lentes, medicamentos e honorários médicos. Não há necessidade de pagamento de nenhum valor adicional”, diz ela. 

De acordo com o oftalmologista do Iasep, Fernando Dias, o tratamento da catarata consiste numa cirurgia local de média para alta complexidade, sem necessidade de internação. É preciso tomar algumas precauções após o procedimento. “Não deve abaixar a cabeça, evitar carregar peso, não levar a mão suja nos olhos, evitar cozinhar, e usar medicação correta” alertou.

Em média, a liberação do procedimento da facectomia com implante de lente intraocular para idosos acima de 85 anos é feita em cinco dias úteis. Para os demais casos, a espera em média é de 30 dias, dependendo da situação indicada pelo médico. “Esse tempo é necessário para a regulação médica do procedimento e para cumprir os prazos de emissão e produção das guias cirúrgicas, garantindo que o Instituto tenha recursos para atender aos mais de 220 mil segurados que precisam de atendimentos ao longo do ano”, explica a diretora.